Twitter Facebook Linkdin Youtube Slideshare Wordpress

POR QUE AS GIGANTES CAEM?

A soberba cega e pode levar ao fracasso

17/04/2012

POR QUE AS GIGANTES CAEM?

Lendo o livro de Jim Collins, COMO AS GIGANTES CAEM, lançado aqui no Brasil pela Editora Elservir, percebi que muitas outras empresas ainda fariam parte da triste estatística da derrocada, indo do sucesso à decadência.

Vamos falar do exemplo da RIM (Reserch in Motion) fabricante do famoso BlackBarry. A RIM (finalmente entenderam que deveria mudar o nome para BlackBarry. Algo tão óbvio) conseguiu a proeza de navegar por muito tempo em oceano Azul. Desde a sua fundação, através dos Senhores Mike Lazaridis e Jim Balsillie, a empresa teve crescimentos recordes e rapidamente conseguiu ultrapassar suas fronteiras - conquistando todo o planeta. O celular BlackBarry possuía uma plataforma própria; seus aplicativos eram bons, especialmente o aplicativo de mensagens.

 

Para a empresa, o céu parecia o limite. Além disso, trazia retornos excepcionais aos investidores. Parece, no entanto, que todo esse sucesso, começou a afetar a capacidade de pensar e inovar da empresa. A BlackBarry começa passar por espasmos e dores aguda. O oceano muda sua cor para vermelho sangue. A empresa começa a navegar em águas rasas e perigosas, e começa a entrar em apuros,



Segundo o estudo do Prof. Collins, do sucesso à decadência, as empresas podem atravessar cinco estágios:

ESTÁGIO 1. Excesso de confiança proveniente do sucesso
ESTÁGIO 2. A busca indisciplinada por mais
ESTÁGIO 3. A negação de riscos e perigos
ESTÁGIO 4. A luta desesperada pela sobrevivência
ESTÁGIO 5. A entrega à relevância ou a morte

Acredito que a BlackBarry passou do estágio 1 (Excesso de confiança proveniente do sucesso) diretamente para o estágio 3, (A negação de riscos e perigos) pulando o estágio 2. (A busca indisciplinada por mais) Talvez, o estágio 2 a teria feito pensar em maiores inovações.


Traduzindo para o português literal, Reserch in Motion significa: pesquisa em movimento. No entanto, foi exatamente o que a empresa deixou de fazer, pesquisar. Ela se apegou ferrenhamente à sua plataforma, acreditando talvez, que houvesse encontrado a fórmula ideal de sucesso. No entanto, o mercado continuou a evoluir e os concorrentes a melhorar. A BlackBarry teve todas as chances de inovar e lançar produtos mais evoluídos. Mas, a complacência e talvez a falta de ambição a tornaram em uma empresa obesa e lenta.

Foi nesse período de mornidão aos seus próprios princípios, que a APPLE lança seu mais novo produto no mercado. Em pouco tempo o IPHONE se torna líder de mercado e objeto de desejo dos seres mortais. Aqui começa a decadência da RIM. A empresa então no ESTÁGIO 3(A negação de riscos e perigos) não acredita que será afetada pelos concorrentes, até que a Samsung lança o matador de IPHONE. Chega ao mercado o GALAXY S2. Nesse momento, a RIM com a água já batendo em seu traseiro, percebe tardiamente que os estragos são maiores que imaginava. O IPHONE também entra no mercado corporativo, outrora quase exclusivo do BlackBarry e pior do que isso, pela primeira vez na história da empresa, eles deixam de ser número um em seu próprio país, o Canadá. O IPPHONE toma seu lugar.

Enquanto escrevo esse artigo, a empresa está chafurdada num lamaçal de problemas. De várias fontes surgem notícias catastróficas sobre o futuro da empresa.

No entanto, por que estamos abordando os problemas dessa empresa? Será que podemos aprender alguma coisa com os erros da BlackBarry? Quais as lições tiradas desse desastre corporativo? Penso que resumidamente as lições são as seguintes:

1. Nenhuma empresa é imbatível;
2. A segurança é relativa;
3. A decadência bate em qualquer porta a qualquer hora.




Como as empresas podem se proteger, a fim de não capitularem? Em seu livro, O Prof. Collins dá algumas dicas que tomo a liberdade de resumir.

1. FOCO;
2. ESTAR EM CONSTANTE MOVIMENTO;
3. CAPACIDADE DE RESPOSTA RÁPIDA;
4. EVITAR A OBESIDADE CORPORATIVA. (minha teoria)



Gostaria de encerrar, citando a frase de Henry D. Thureau: "Nada recua mais do que o sucesso".


Abraço a todos,

Fernando Fernandes
 

Gostou? Que tal compartilhar com seus amigos?

Comentários:

Nome: jonimar

Mensagem: muito bom sensacional

Data: 08/10/2014

Nome: Max Grossmann

Mensagem: Excelente artigo Fernando, como sempre! rs! Realmente o sucesso deixa os empresários acomodados e apenas querendo colher os frutos e quando percebem que surgiu algo melhor e mais moderno já é tarde demais para correr atrás. Todas as grandes empresas hoje, para se sustentarem, necessitam gastar boa parte dos lucros em pesquisa e investimentos.

Data: 07/10/2014

Nome: Diogenes Rosa

Mensagem: Muito bom mesmo!!! Na terra verde e amarela deveríamos lançar mão de exemplos como os citados no artigo, pois mais inteligente é aprender com os erros alheios, e, fazer as coisas acontecerem na "Terra Brasilis"; por exemplo,as indústrias que empregam milhares de trabalhadores, começando com a geração da própria energia (sustentável e limpa) para a produção,a fim de sair da mão do governo/concessionárias que consomem grande fatia das margens de lucratividade e, inviabilizam muito dos investimentos, de fazer acontecer a reforma tributária, afinal, o número de empresários renomados e de notório sucesso, é sim, muito maior que o número de Senadores e Deputados do Congresso Nacional e, diga-se de passagem, temos excelentes tributaristas nas fileiras da nobre advocacia brasileira, afinal estamos nadando em "oceano vermelho sangue há muito tempo, fazendo de conta que o oceano é azul...finalizando, reforço as palavras do Fernando Fernandes: "1. FOCO; 2. ESTAR EM CONSTANTE MOVIMENTO; 3. CAPACIDADE DE RESPOSTA RÁPIDA; 4. EVITAR A OBESIDADE CORPORATIVA. (minha teoria)" Abraço a todos!!

Data: 26/05/2014

Nome: Carlos Frezarini

Mensagem: Muito bom, realmente as empresas precisam ter foco e estar em constante movimento, ou seja, inovação consistente para garantir a liderança de mercado, alinhado com uma cultura de mudança que se espalha pela empresa e com constante avaliação dos resultados das metas alcançadas. Sucesso Frezarini

Data: 07/04/2013

Nome: MAURO LUCIO SILVA

Mensagem: Sensacional este artigo! Muitas das empresas estão passando por isso no Brasil. Cito Belo Horizonte, onde trabalho no setor de hotelaria e vejo como as empresas que estão hoje no mercado, "nadando em águas azuis", não estão se preparando para a chegada dos inúmeros concorrentes. Estão sim, fadas ao fracasso e a derrocada.

Data: 17/07/2012

Nome: MAURO LUCIO SILVA

Mensagem: Sensacional este artigo! Muitas das empresas estão passando por isso no Brasil. Cito Belo Horizonte, onde trabalho no setor de hotelaria e vejo como as empresas que estão hoje no mercado, "nadando em águas azuis", não estão se preparando para a chegada dos inúmeros concorrentes. Estão sim, fadas ao fracasso e a derrocada.

Data: 17/07/2012

Nome: MAURO LUCIO SILVA

Mensagem: Sensacional este artigo! Muitas das empresas estão passando por isso no Brasil. Cito Belo Horizonte, onde trabalho no setor de hotelaria e vejo como as empresas que estão hoje no mercado, "nadando em águas azuis", não estão se preparando para a chegada dos inúmeros concorrentes. Estão sim, fadas ao fracasso e a derrocada.

Data: 17/07/2012

Deixe seu comentário:

Dicas de Fernando Fernandes

MECANISMOS DE FIDELIZAÇÃO DOS CLIENTES

Assista ao videocast Veja outras dicas

Loja Cases


Adquira seu livro pelo site! Você também pode baixar uma amostra para "degustação"

Contato Rápido

Leve o Fernando Fernandes para sua cidade. Solicite informações sobre Palestras, Cursos e Consultorias.


Programa Cases - Cases de Sucesso e Empreendedorismo
© Copyright

Rádio e Televisão Record S/A.

Six Interfaces